Carré de Porco Assado. Menos calórico e mais saboroso do que peito de frango.

Venhamos e convenhamos peito de frango na dieta é algo capaz de desanimar qualquer pessoa por mais bem intencionada que ela esteja.

image

Pálido sem gosto e com uma textura que lembra borracha; desculpe-me quem não concorda…rsrs; peito de frango não convence.

É nesse contexto de mesmice que apresento essa opção: Carré de Porco, vulgo Bisteca…

Uma receita muito saborosa pois as bistecas foram temperadas, assadas em papilotes; velopes de papel alumínio selados; e depois regadas com um saboroso molho antes de voltar para o forno para dourar.

Antes alguns dados:

Filé de peito de frango
100gr sem pele grelhado: 183kcal.

Carré de Porco assado
100gr assado: 131 kcal
Fonte: Super Interessante

Ingredientes:

  1. 150gr de bisteca de porco.
  2. Sal e pimenta a gosto.
  3. Suco de 2 laranjas.
  4. 3 colheres de chá de mostarda.
  5. 2 colheres de sopa de Ketchup.

Modo de Fazer:

Tempere as bistecas com sal e pimenta.

Envolva as bistecas em papel alumínio selando bem as laterais.

Leve ao forno preaquecido a 180 graus por 40 minutos.

Tire a carne do papel, adicione o molho e leve ao forno até dourar.

Enquanto a carne assa, cozinhe legumes como cenouras, batatas, abobrinhas… Tempere-as com azeite de oliva, sal e pimenta.

Sirva as bistecas acompanhadas pelos legumes e saia do lugar comum.

Veja a receita no vídeo abaixo.

Boa noite a todos.

Rosca Recheada com Creme.

Várias são  as receitas  dessa rosca na Cozinha mas até agora não  havia compartilhado um vídeo com a montagem da rosca recheada com Creme de Confeiteiro.

Veja abaixo essa deliciosa receita capaz de encantar a todos que você ama.

No vídeo estão os links para a receita da massa, do creme e da calda.

Espero que gostem…

Sopa Oriental com Wonton de Repolho.

Wonton Soup são compostas por um caldo aromático no qual são cozidas touxinhas de massa recheadas com carne, normalmente de porco, ou vegetais. Além dos Wonton são acrescidos outros elementos como cogumelos, algas, frango ou frutos do mar.

Apesar de toda essa introdução a receita abaixo não é uma Wonton Soup tradicional pois, ao invés de fazer as trouxinhas de massa optei por fazê-las enroladas em folhas escaldadas de repolho. Devo admitir que não dá para comparar a massa de Wonton com repolho mas mesmo assim a sopa ficou extremamente saborosa, incrivelmente leve e agradou a todos aqui de casa…que por sinal gostam muito de repolho.

A receita está no último vídeo publicado na canal A Cozinha sincera no YouTube e, ao final dele você encontra os links para os caldos que podem ser usados e para a versão tradicional da Wonton Soup já publicada pela Cozinha.

Boa noite e bom final de semana a todos.

Tortellini de Chocolate. Por que não?

Cozinhar é um ato cultural no sentido mais amplo do termo. Quando somamos ingredientes e temperos dentro de uma panela, tanto nos ligamos a nossa herança cultural quanto ligamos aqueles para quem nós cozinhamos a essa rede formando uma teia, que se projeta tanto para o passado quanto para o futuro.
Mas cozinhar não é uma atividade engessada e presa a suas referências, é um ato criativo e transformador da realidade.
A evolução do Homem enquanto espécie somente foi possível a partir do momento que ele dominou o fogo e passou a cozinhar os alimentos. Restos arqueológicos dão indício claro de que essa prática começou entre 1,9 e 1,8 milhões de anos atrás, na transição entre o Homo Habilis e o Homo Erectus. Sobre o assunto ver O Cru, o cozido e o cérebro.

Agora a pergunta que não quer calar: depois de quase 2 milhões de anos de práticas culinárias ainda é possível criar algo novo? Claro que sim. Mesmo que depois você vá ao Google e descubra que um monte de gente já fez exatamente a mesma coisa que você…rsrs. Ainda assim, modificar uma receita transformando aquilo que você sempre consumiu de uma forma tradicional em uma receita inusitada é muito estimulante.
Essa receita reflete exatamente essa subversão de forma. Transformar a tradicional massa à base de ovos para macarrão em uma massa de chocolate para a sobremesa…
Uma idéia na cabeça, um rolo de macarrão na mão e o resultado pode ser conferido abaixo…

Tortellini de Chcolate recheado com Purê de Banana da Terra.

Tortellini de Chcolate recheado com Purê de Banana da Terra.

Prepare uma receita de Massa a base de ovos para macarrão.
Separe uma porção de 1/4 da massa e adicione 3 colheres de chá de cacau em pó à massa e 2 colheres de cafézinho de bicarbonato de sódio. Misture muito bem até estar bem homogêneo.

Ingredientes para massa de macarrao a base de ovos.

Ingredientes para massa de macarrao a base de ovos.

Cacau em po e bicarbonato de sodio. Cacau em pó e bicarbonato de sodio.

Estenda com o rolo de macarrão ou cilindro até a massa ficar o mais fina possível, corte e recheie com purê de Banana da Terra.

Massa de chocolate.

Massa de chocolate.

foto 1 (7)
Feche e cozinhe em água fervendo.
Sirva com Frutas Vermelhas, Creme de Confeiteiro ou sorvete.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Veja o vídeo da receita passo a passo abaixo.

Panquecas. Porque não só de pão vive o homem…

O que acontece com uma pessoa que deixa de comer produtos com glúten, seja por necessicpdade ou por opção, na mesa do café da manhã?

Entra em depressão, foge da mesa, fica irrascível, quebra tudo…?

Brincadeiras à parte não é uma situação fácil. De um dia para o outro o sagrado pão com manteiga, aquele conforto nosso de todo dia, tão ao alcance da mão, tão trivial passa a ser inalcaçavel, impossível, proibido… Uma fixação em nossa mente, uma tortura… A imagem perfeita dessa fixação tem seu paralelo com a obsessão  do esquilo do filme A Era do Gelo em nozes…

Alguém aí falou pão?

Alguém aí falou pão?

Mas, como não só de pão vive o homem…e desculpe Maria Antonieta, mas Brioche não é gluten free, precisamos pensar em outras opções que não se restrinjam a tapioca e pão de queijo.

Aqui é que entram as panquecas. Fáceis de fazer, rápidas e versáteis são mais do que uma opção, são o Santo Graal da alimentação sem glúten.

Farinha de arroz, fécula de batata, amido de miljo, farinha de amaranto, farinha de linhaça, farinha de quinoa, farinha de coco, farinha de arroz… Existem hoje opções incríveis para quem quer, ou tem que fazer uma dieta restrita.

São produtos caros? Não vou negar, são. Mas rendem muito e você pode iniciar com produtos mais básicos e comprar outros a medida que vai se acostumando com eles.

São difíceis de encontrar em cidades pequenas? São. Mas para isso existe a web e você pode comprar o que precisa em mercados online de confiança como a Zona Cerealista.

Agora vamos a uma receita que além de não ter glúten, não tem lactose nem ovos…

Poxa, mas pode isso ficar bom? Confiam em mim? Pois lhes digo: fica uma delícia.

Ingredientes:

  1. 1 colher de sopa de farinha de linhaça.
  2. 1 colher de sopa de farinha de amaranto.
  3. 1 colher de sopa de semente de chia.
  4. 3 colheres de sopa de farinha de arroz.
  5. 1 de cafézinho de bicarbonato de sódio.
  6. 1 colher de chá de açúcar.
  7. 1 colher de cafézinho de sal.
  8. 1/4 de xícara de água.

Modo de Fazer:

Misture tudo a noite e deixe na geladeira até o outro dia.

Coloque um fio de azeite de oliva em uma frigideira anti aderente pequena e aqueça em fogo baixo.

Observe sua massa. Se ela estiver muito grossa acrescente um pouco mais de água. A consistência é mais grossa de que de uma massa comum mas ela deve escorrer da colher lembrando muito a consistência de um Molho Branco.

Adicione duas colheres de servir de massa à frigideira, deixe de um lado até dourar, vire com uma espátula flexível de silicone, e deixe dourar o outro lado.

Essa medida rende entre 3 e 4 panquecas pequenas.

Sirva com manteiga, geléia, melaço de cana, mel….

image

image

image

No Instagram da Cozinha Sincera você pode ver os vídeos da execução dessa receita. Assista e siga  a página da Cozinha para conhecer um pouco mais da nossa rotina.

Bom final de semana a todos. E sejam felizes com, ou sem glúten.

Coxinha da Asa Picante acompanhada de Creme de Milho Verde. Porque assado pode ser tão bom quanto frito.

Asinha de frango (drumet) frita com molho picante parece ter virado febre.

Muito comum nos Estados Unidos da América, “Chicken Wings” ou “Búffalo Wings”, são asinhas de frango fritas servidas em baldes com molho picante. Na verdade dizer que são comuns não corresponde a realidade. São quase uma paixão nacional, prova disso é que existem verdadeiros desafios entre estados e cidades em torno de receitas e de quem é o criador da guloseima mais picante.

Agora sejamos sinceros… Como não gostar? Asinhas são deliciosas, assadas na churrasqueira ou fritas, como as servem, com bastante alho frito,  no famoso restaurante Madalosso de Curitba,

A versão abaixo atende a todos os quesitos no que diz respeito a sabor e crocância mas nega-se ao supremo hedonismo de fazê-las fritas preferindo, em lugar disso, fazê-las assadas…

Vamos a elas então:

Ingredientes:

  1. Coxinha da asa: 1 kg por homem adulto. Acha muito? Lembre-se de que é muito osso e pouca carne.
  2. Alho socado ou pasta de alho. Pasta de alho: bata no liqüidificador bastante alho com óleo e cheiro verde. Coloque em uma tigela acrescente bastante sal e guarde, em um vidro fechado, na geladeira para usar quando quiser.
  3. Sal e Pimenta moída na hora.

Modo de Fazer:

Tempere muito bem as asinhas e coloque-as para assar em forno preaquecido a 200 graus até estarem bem coradas mas não secas. Mais ou menos 40 minutos.

Enquanto as coxinhas assam prepare o Creme de Milho.

Ingredientes:

  1. 1 litro de leite.
  2. 2 latas de milho verde.
  3. 50 gr de farinha de trigo ou de arroz se você estiver evitando o glúten.
  4. 50 gr de manteiga sem sal.
  5. 1 cebola bem picada.

Modo de fazer:

Bata no liqüidificador o leite, 1 lata de milho e a farinha.

Refogue a cebola na manteiga, adicione a mistura do liqüidificador, o conteúdo da outra lata de milho e mexa constantemente até engrossar.

Molho Picante:

Ingredientes:

  1. Suco de 3 laranjas.
  2. 3 colheres de sopa de geléia de pimenta ou molho de pimenta. Quanto mais picante…mais quente.

Modo de Fazer:

Misture e reserve.

Montagem:

Quando as asinhas estiverem assadas, retire-as da forma, passe a um refratário e deixe no forno em temperatura mínima.

Retire toda a gordura da forma e adicione 1/4 de xícara de água fervendo. Retorne à chama e mexa até que todos os resíduos da forma tenham se soltado. Essa será a base de seu molho.

Adicione  o suco de laranja com molho de pimenta à assadeira e mexa até que fique homogêneo.

Retire as asinhas do refratário, retorne-as à forma e misture-as ao molho até envolvê-las bem.

Retire-as do molho com uma pinça e retorne ao forno, agora em temperatura média, 180 graus até o molho secar… Mas não deixe ressecar a carne.

Coe o conteúdo da assadeira em uma panela pequena, adicione 50 gr de manteiga e ferva até reduzir e engrossar levemente.

Aqueça o Creme de Milho, coloque uma porção no prato, adicione as Coxinhas da Asa, regue com o Molho Picante, faça uma bonita guarnição com os temperos que tiver a mão e sirva quente.

Enjoy…

Veja a receita passo a passo no vídeo abaixo.

Boa noite a todos.

Pargo Assado acompanhado de Purê de Batatas e Molho de Vinho Branco com Champignon.

Toda receita tem mais de uma História. Uma História sobre suas origens, sua difusão, sobre suas técnicas e evolução ao longo do tempo e, uma história mais cotidiana, sobre de onde veio a inspiração para fazê-la.
Quantas vezes você abriu a geladeira, o armário de mantimentos ou foi ao mercado sem ter a mínima idéia do que cozinhar e de repente se deparou com algum ingrediente que lhe foi tão inspirador que fez com que tudo fluísse, as idéias sobre a receita, os ingredientes necessários e os procedimentos para executá-la.

Essa receita também tem uma história como essa e ela começa com uma muda que tem sua própria História.

Quando você começa uma Horta não tem a menor idéia do mundo em que você está entrando. Um mundo que envolve curiosidade, senso comum de pertencimento, generosidade, trocas de experiências e…de mudas.

Troquei algumas mudas de Batata Doce de Poupa Alaranjada por uma “cova” de mandioca e umas mudinhas de uma erva com cheiro e gosto igual a coentro mas com uma forma e textura que em nada lembrava coentro.

O canteiro da Horta onde as mudas foram plantadas.

O canteiro da Horta onde as mudas foram plantadas.

Plantei as mudas e elas se desenvolveram rápida e vigorosamente. Passei a usá-la para temperar saladas e feijões e, me desculpem quem não gosta de coentro, seu sabor agregou muito mais intensidade e sabor aos pratos.
Veja nas imagens abaixo a diferença entre eles.

Coentro comum.

Coentro comum.

Minha curiosidade foi satisfeita ao perguntar no grupo Hortelões Urbanos a respeito do tempero e receber, além de do seu nome, dicas e receitas, também um link para a página Come-se da Neide Rigo no qual pode-se saber tudo sobre ele. Curiosos? Acessem o link na foto acima.

Mas vamos deixar a “prosa” de lado e vamos a receita.
Depois de descobrir que o coentro também era conhecido como Coentro do Mato, Coentro de Peixe e Chicória do Pará resolvi ir a uma peixaria atrás de algo que lhe fizesse justiça.

Comprei um belíssimo Pargo e o resultado não poderia ser outro.

Confira abaixo:

Ingredientes:

  1. 1 Pargo. Ou Namorado, ou Dourado do mar, ou Linguado… Calcule 200gr de carne por pessoa.
  2. 2  xícaras de coentro fresco. Não gosta mesmo? Use a mesma medida de manjericão, alfavaca, endro, uma mistura de salsinha e cebolinha… Só não recomendo sálvia e alecrim por terem um sabor muito acentuado.
  3. 1 limão fatiado bem fino.
  4. Azeite de oliva q/b.
  5. Sal e pimenta a gosto.

Modo de Fazer:

Lave e seque o peixe por dentro e por fora.

image

Faça cortes transversais em seu lombo.

Tempere com sal e pimenta.

Insira os temperos nos cortes e no interior do peixe.

Adicione as farias finas de limão junto das ervas e coloque 1/2 limão dentro do peixe.

image

Regue com azeite de oliva e leve para assar em forno preaquecido a 180 graus.

Quanto tempo? Calcule 20 minutos para cada palmo de peixe assado inteiro e 10 minutos por palmo quando for assar filés.

Purê de Batatas:

  1. Cozinhe, amasse e esprema as batatas enquanto o peixe assa.
  2. Adicione leite, manteiga sal e pimenta e cozinhe até homogeneizar.

Molho de Vinho com Champignon:

  1. 1 talo de Alho Poró fatiado. Se não tiver use cebola.
  2. 1 xícara de Cogumelos Paris frescos ou 1 vidro em conserva. Você também pode usar alcaparras ou azeitonas.
  3. 1 colher de chá de Aliche. Opcional. Eu uso pois acho que intensifica o sabor do molho.
  4. 1 cálice de vinho branco. O mesmo vinho que você irá servir com o peixe. Usei um Sauvignon Blanc Reserva da  Vinícola Concha y Toro.
  5. Azeite de Oliva q/b.

Modo de Fazer:

Refogue o Alho Poró no azeite, acrescente os Champignons e o Aliche.

Reserve.

Montagem:

Quando o peixe estiver assado, retire-o da forma e transfira para um refratário. Mantenha o peixe no forno desligado ou no mínimo para que permaneça aquecido.

Retire os ossos grandes que ficarem na forma.

Adicione o vinho à forma e leve para chama do fogão mexendo constantemente até que todos os resíduos presos nela se soltem. Se necessário, acrescente um pouco de água.

Quando esse caldo estiver pronto, coe no refogado de Alho Poró e deixe ferver até incorporar bem.

Cuidadosamente separe as postas de peixe soltando do osso central.

Coloque uma porção de Puré no centro do prato, adicione a posta de peixe e regue generosamente com o molho.

Decore com ramos do tempero que você usou e sirva imediatamente com o vinho bem gelado.

Uma receita leve, saborosa, saudável e perfeita para dias ensolarados.

image

Veja a receita completa no vídeo abaixo.

Boa tarde a todos.